sábado, junho 05, 2004

O Clown - A criança que vive em cada um...


Clown em inglês quer dizer palhaço e tanto o clown como o palhaço tem duas origens nos bandos de bufões medievais e na Commédia del’Arte italiana, possuindo a mesma função essencial: expor a estupidez do ser humano e as suas relações.

Mas originamente, clown vem do inglês clod, termo que se refere ao camponês e ao seu meio rústico, a terra, os primeiros actores simulavam camponeses astutos provocando risos. Já o palhaço vem do termo italiano paglia (palha) usada para revestir colchões, pois a primeira roupa do palhaço era feita do mesmo tecido grosso e às listas do colchão.

O palhaço é uma personagem cómica, enquanto que o clown não representa, ele é. Chaplin não representa, ele é Charlot nas diversas situações que permitem revelar desde a sua astúcia até à sua ingenuidade. François Fratellini, de tradicional família de clowns europeus dizia: “No teatro, os comediantes fazem de conta. Nós fazemos as coisas de verdade”.

O Clown e Sentido Cómico. O palhaço circense é muito falador, tem um ritmo acelerado e faz coisas constantemente. Para ele é mais importante o que vai fazer: o truque, o tropeção, o estalo, os tombos, etc. Já o clown vai por outro caminho, procurando dilatar o lado ingénuo, ridículo, patético do próprio actor. Assim o clown é pessoal e único, não dando tanto destaque ao que vai fazer, mas como vai fazer as coisas. É importante sempre a relação entre a sua pessoa e o que ele está a fazer. Pode-se dizer que o palhaço quer ser engraçado e o clown tenta ser sincero e coerente com o seu modo de pensar primário e puro.

Quando nos lembramos dos clowns do cinema fica mais fácil entender essas características: Oliver Hardy (o Bucha) e Stan Laurel (o Estica) formaram a mais famosa dupla de clowns, em que o Bucha é racional, inteligente e o Estica o ingênuo, de boa-fé, emotivo, mas nunca conseguem nada porque se portam como idiotas. Charles Chaplin imortalizou a figura do clown, com sua forma meiga e atrapalhada. Outros clowns famosos do cinema foram, Harold Loyd, Buster Keaton, Max Linder, os irmãos Max, Jerry Lewis.

O actor para desenvolver um clown deve permitir que o seu lado mais ingénuo, os seus raciocínios mais primários se manifestem.

O clown apenas expõe o seu íntimo, as suas fraquezas, o seu lado patético e ridículo, por isso o seu nariz vermelho é a menor máscara que existe, a que menos esconde e a que mais revela. Daí provoca a identificação e o riso, pois faz o homem rir de si mesmo. Os clowns, em bandos, em duplas ou solitários, ao realizar incursões nos mais diversos ambientes, como ruas, praças, metros, restaurantes, supermercados, festas, representam uma forma de levar a poesia para locais onde dificilmente ela chega, ou pelo menos é percebida, quebrando a rotina das pessoas, além de ser uma forma de resgatar valores da humanidade, generosidade, fraternidade, amor, que o ser humano tem vindo a perder. Por outras palavras: o clown é uma espécie de museu vivo de valores humanos esquecidos e muitas vezes, após uma apresentação, resgatados com fiel originalidade.


3 comentários:

Trovoada disse...

Adorei sua descrição sobre o palhaço e o clown. bjos da palhaça trovuada.
Trovoada & Sapeca

Sadinei Rodrigo Bruschi disse...

Acabei de fazer um curso sobre a descoberta do Clown e percebi em mim o quanto nossa sociedade rejeita quem se aproxima de sua essência mais ingênua e verdadeira, pois teatralizar as relações em todos os níveis é o mais comum porque não precisamos ser nós mesmos. Muito bom o texto sobre o Clown. Sadinei R. Bruschi, Jaraguá do Sul - SC

Anónimo disse...

Acabei de fazer um curso sobre a descoberta do Clown e percebi em mim o quanto nossa sociedade rejeita quem se aproxima de sua essência mais ingênua e verdadeira, pois teatralizar as relações em todos os níveis é o mais comum porque não precisamos ser nós mesmos. Muito bom o texto sobre o Clown. Sadinei R. Bruschi, Jaraguá do Sul - SC